No dia 07 de setembro de 1895, foi realizada a solenidade de lançamento da pedra fundamental do Palácio da Liberdade, na época denominado Palácio Presidencial. O Palácio representou o poder centralizado do Estado, tendo um destaque significativo no projeto de construção da nova capital.

Inaugurado em 1898, o Palácio era também residência oficial do governador. As atividades administrativas desenvolvidas no local conviveram com o uso doméstico e familiar de parte do edifício desde os primeiros anos.

Em 1975, a edificação foi tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA-MG). Dois anos depois, por ação do mesmo Instituto, foi realizado o tombamento do conjunto arquitetônico e paisagístico da Praça da Liberdade.

No ano de 2010, foi criado o Circuito Cultural da Praça da Liberdade, hoje chamado de Circuito Liberdade. Atualmente, o Circuito é coordenado pelo IEPHA-MG e reúne espaços culturais diversos, expandindo-se do entorno da Praça da Liberdade para outros lugares dessa região de Belo Horizonte. O Palácio da Liberdade, por sua vez, retomou, a partir de 2015, seu uso original como gabinete do governador, conjugando, também, a abertura à visitação pública.

Considerado uma referência cultural para a história e memória coletiva, o Palácio permanece como testemunho do passar dos anos. Refletir sobre o que ele representou e ainda representa é um caminho para a compreensão do modo como as pessoas significam e/ou ressignificam o território que habitam.